21 de jul de 2010

Especial EROTÍSSIMA


Especial
EROTÍSSIMA
Clevane Pessoa de Araújo Lopes
Uma vida de conquistas...

           Antônio Carlos Dayrell               
Advogado, com Pós-Graduação em Direito de Empresa. 
Escreve em Belo Horizonte,Lagoa da Prata e Santo Antônio do Monte - MG, compondo poemas e artigos de direito.


“Quando eu era jovenzinha, apesar do colégio de freiras e das tentativas de educação limitante, escrevi e publiquei, sem pejo:”

Mais sensual que eu,

só Deus,

que fez o bem e permitiu o mal

e tem

os sentidos mais aguçados que os Meus...

(Clevane Pessoa)

EROTÍSSIMA. Hoje acordei com o cheiro de rosas nas palmas das minhas mãos. O perfume embebido de poesia deixava no ar um leve aroma de paz. Sobre a cabeceira um opúsculo riscado de batom ainda adormecia, quando comecei a tecer as primeiras linhas desse breve e sucinto comentário, mas que, ao falar de uma conquista alheia, faço com  apreço e "alma vibrante".   Ninguém vive sem a palavra e se der para que se apresente sensual que seja EROTÍSSIMA (Catitu Publicações). Assim, Clevane Pessoa de Araújo Lopes se intitulou na primavera de 2009, para se dedicar a falar sobre um dos tabus da literatura, com o doce prazer regar nossa imaginação com pétalas de mel. Clevane preserva o sentido original e ético da palavra, mostrando que é possível ser erótica sem despudorar.

TRATADOLi repetidamente EROTÍSSIMA para discordar de quem entenda que falar de amor e sexo não rima com poesia. A tônica da mulher moderna, influenciada pela miscigenação de culturas deu a essa escritora a capacidade de produzir um tratado histórico sobre o assunto. Feito sob a ótica da mulher o livro incorpora veladamente fantasias e desejos sensuais femininos, quebrando paradigmas de que a mulher exerce papel secundário na sociedade. FOTOGRAFIAS. A poeta-amiga e psicopedagoga Maria Angélica Bernardes (Bilá Bernardes), que a acompanha em Saraus e antologias, também viveu a experiência de enveredar por temas polêmicos, ao retratar no livro FotoGrafias de DesCasamento (Anome Livros, 2008)  a desconstrução da relação matrimonial, exatamente porque a mulher aprendeu a ser submissa ao sexo oposto. Bilá escreveu: “Minha memória/ guarda o corpo dele/ mãos deslizando/ primeiro nos cabelos/ descem vagarosamente/ pelas costas/ seguem provocando suspiros/ arrepios...”. (Tateado). Com a pertinência que lhe é peculiar, Clevane Pessoa: “A cabeça do dedo audacioso/ e sensual/ alisa-me o peito/ do pé do lado esquerdo/ sem pressa/ e depois o direito/ tão devagar quanto... / contorna-me cada artelho/ e lento qual caracol/ anda em torno de cada qual.../ sobe e pára/ na barriga...”. (Carícias). Essas duas mulheres produziram livros inéditos e de boa qualidade, que têm de semelhança o homem como antagonista. O amor inova, mas nunca sai de moda. "Quero um novo amor?/ Sim, quero/ mas não quero um caso...”, concluiu Bilá (Um novo amor). CASA. Aspecto relevante é onde a maioria das histórias acontecem. A mulher moderna prescinde de castelos e príncipes encantados para descobrir sua sensualidade.  Nem a Internet escapa do olhar atento e insofismável de uma especialista no exame comportamental. A intimidade da casa é onde se registram os principais lances no jogo da sedução e da traição, inclusive. Tudo vai depender da habilidade do parceiro em conservar a relação. BIOGRAFIATalvez o melhor da obra de Clevane Pessoa esteja na experiência que adquiriu nesses anos laboriosos. Nordestina radicada em Minas Gerais, psicóloga, viúva e mãe de dois filhos dedicados. Clevane é artista multifacetada, incansável e oficineira. Poeta Honoris Causa pelo Clube Brasileiro de Língua Portuguesa - CBLP, Embaixadora Universal da Paz, pelo Cercle Universal de Les Ambassadeurs de la Paix e membro das Academias de Letras Feminina Mineira – AFEMIL e do Brasil, ALB – Mariana, onde escolheu para homenagear Cecília Meireles e Laís Correa de Araújo, respectivamente. É, ainda, Filósofa Universal, Doutora Honoris causa, PHI - pela ALB/CONALB, Diretora Regional do Instituto de Culturas Internacionais – InBRasCI e Vice Presidente do Instituto Imersão Larina – IMEL, “Comunicação e arte pela diversidade cultural e defesa de direitos dos povos”LIVROS. Clevane produziu outras pérolas da literatura nacional, quais sejam: “Sombras Feitas de Luz”, “Asas de Água”, “A Indiazinha e o Natal”, "Partes de Mim", “Mulheres de Sal, Água e Afins”. UNANIMIDADEOs amigos são uníssonos em destacar suas virtudes. Ela recebe tudo com muita naturalidade e desconversa para não parecer prioresa. Retribui divulgando e incentivando suas atividades culturais. DESEJOSeu maior desejo “é escrever um livro erótico, em co-autoria: homem, mulher, cada qual com sua visão de gênero”, como humildemente declarou no seu Confiteor AutoVidagráfico.  GRATIDÃOClevane não quer desfrutar do mundo só para si. Quer somar, multiplicar “pétalas de uma mesma rosa, rosas de uma mesma roseira, roseiras de um mesmo roseiral”. “Quero abraçar o mundo para não perdê-lo”, desabafou. Ela reconhece que os amigos são fundamentais na sua vida de conquistas. Então agradeça agora Clevane, para que todos saibam como infinita e verdadeira é a sua gratidão: Aos avós (Luiz Máximo e Manoel Pessoa), pais, filhos, amigos (Lázaro Barreto, Luiz Lyrio, Mhario Lincoln, Marco Llobus, Cláudio Márcio Barbosa,) e às poetisas (Ana Alcântara, Ana Cristina César, Helena Pessoa, Hilda Hilst, Irene Dias Cavalcante, Leila Miccolis, Lívia Tucci, Márcia Denser, Maria José Limeira, Nina Reis, Tânia Diniz e Yeda Schmaltz - in memoriam), entre outros/as que compartilham da sua ágape. MONTANHAS“Mar, não existe nenhum mar agora,/ e apenas atrevidas, erguem-se as montanhas,/ as montanhas fartas, verdes e sensuais/ das Minas Gerais, / que escondem nos seios e nas ancas, / nos ventres misteriosos e grávidos, / tais segredos ancestrais.../ E eu, que ao ler os versos do poeta,/ passo os lábios e encomprido os olhos/ sensuais,/ quero ouvir sua voz/ e pensar que foram escritos para mim,/ esses poemas embalsamados...”. Destacamos. (in: EROTÍSSIMA. Trecho do poema “Um dia a montanha foi mar”. Clevane Pessoa de Araújo Lopes. Catitu Publicações: Belo Horizonte, 2009).

FIM.

Antônio Dayrell, Belo Horizonte


Aqui o autor junto ao professor Antônio Miranda da Biblioteca Nacional de Brasília que mostra o livro de Dayrell, recém adquirido e autografado.










Quem quiser adquirir o livro Erotíssima ou
obter mais  informações  é  só
acessar os sites

Clevane Pessoa











capa do livro Erotíssima

                                  Bilá Bernardes












Convite de Lançamento do livro FotoGrafias de DesCasamento

Um comentário:

BilaBernardes disse...

Já há alguns dias que recebi este texto enviado por Dayrell que o publicara em seu Blog: Poesia Delivery. Demorei a poder dar o retorno e o texto já foi substituído lá, que é um blog dinâmico, por outro.
Aproveito para deixá-lo aqui, onde permanecerá. Pena que não consegui manter a bela formatação que ele tinha no blog original.
Abraços,
Bilá